DumDum Tabard

Insectopedia

Informação sobre insetos

Traça - Tinea pellionella

  • Descrição

    A família Tineidae, que inclui as traças de roupa, conta com mais de 2000 espécies em todo o mundo. Por vezes, a palavra “traça” é utilizada para nos referirmos ao grande grupo das Lepidopteras, contudo algumas são borboletas (que ao contrário das traças são insetos diurnos). Em todo o caso, estamos a referir-nos às traças de roupa, as quais se alimentam de produtos obtidos de animais, tais como tapetes de pelo ou lã, e que podem danificar as roupas guardadas nos armários. As traças de roupa medem cerca de 7.8 mm de comprimento. As asas são de cor dourada com uma faixa de pelos compridos nas bordas. A cabeça tem tufos de pelos avermelhados. A sua larva pode medir cerca de 12-13 mm de comprimento e alimenta-se de lã, vivendo na teia de seda que constroem e à qual adicionam excrementos e restos de alimentos. Os corpos das larvas de traça são brancos ou de cor creme, com a cabeça castanha. As larvas não têm olhos. É muito comum encontrar larvas de traça alimentando-se na parte de dentro dos colarinhos, punhos ou outras partes escondidas da roupa.

  • Ciclo de vida

    As traças começam a reproduzir-se quando são adultas e existem durante todo o ano. Geralmente, a traça mão escolhe uma peça de roupa e coloca os seus ovos sobre ele: em média cerca de 50, embora possam chegar a colocar 150 ovos ou mais. O local onde os ovos são colocados é muito importante pois as larvas vão alimentar-se dele. A traça mãe morre alguns dias depois de colocar os ovos pois dispensou muita energia no processo e não pode alimentar-se: as traças adultas não têm forma de se alimentar. O período de incubação pode variar entre 4 a 10 dias e no inverno cerca de 15 dias. O período das larvas é muito variável: de um mês a mais de dois anos. As larvas comem tudo aquilo que encontram até mudarem de estágio: quando medem cerca de 13 mm deixam o local onde se alimentam e escondem-se para formar um casulo que origina o estágio de pupa. Finalmente, sofre a sua última metamorfose transformando-se numa traça adulta.

  • Saiba mais!

    As traças preferem a lã, caxemira, angorá e feltro mas podem comer qualquer tecido, mesmo fibras sintéticas se estas tiverem nódoas de doce ou gordura. Deste modo, nada está seguro: se o guarda-roupa está em perigo, as suas cortinas, cobertores, toalhas, panos também… A traça é uma das poucas espécies pertencentes ao grupo de insetos keratophagous que têm a capacidade de digerir a queratina, uma proteína que é utilizada como fonte de energia e que lhes fornece vários elementos químicos como o zinco, cádmio ou magnésio, além de conter importantes aminoácidos com enxofre como a metionina e a cistina. Isto permite que as traças se possam alimentar de qualquer material que contenha esta proteína: pelos, seda, couro ou lã.

  • Conselhos práticos

    Esvazie as caixas de tempos a tempos, areje os guarda-roupas e mude as roupas de local.

    De vez em quando, lave a roupa que não usa frequentemente.

    Lave a roupa minuciosamente.

    Aplique uma camada de graxa impermeabilizante nas roupas de couro para as proteger.

    Mantenha as roupas em sacos plásticos, cestos ou em gavetas fechadas.

    Evite guardar roupas por lavar ou que não são utilizadas no seu guarda-roupa por longos períodos de tempo.

Calendário

Sabias que…?

As traças são um inseto cosmopolita e podem ser encontradas em qualquer ambiente, incluindo locais muito urbanizados.

A traça mais comum é a da espécie Tineola bisselliella.

As larvas são um dos poucos insetos que conseguem digerir a queratina do pelo e das penas.

Os tecidos naturais são aqueles que estão em maior risco, especialmente lã e algodão, uma vez que elas não costumam atacar tecidos sintéticos como nylon, poliéster e acrílicos.

As traças gostam do escuro.

Se o ambiente das larvas é muito frio ou seco elas normalmente entram em período de latência até que a situação melhore.

As traças são atraídas por roupas com nódoas de suor humano ou fluidos.

Os ovos das traças são muito pequenos, têm menos de 1 mm e são quase invisíveis.

A fêmea pode colocar centenas de ovos durante a sua vida.

Tags: